domingo, 22 de outubro de 2084

Professor

     "Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor, assim, não morre jamais." 

Rubem Alves

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Tom Sawyer - Episódio 18: "Fazer as pazes não é fácil"

ao é

terça-feira, 25 de julho de 2017

Notícias do dia

Tom Sawyer - Episódio 17: "De Regresso à Escola"

"Obrigado" ou "obrigada" como forma de agradecimento?

     Bom, as duas formas...

     Obrigado dirá um homem; obrigada dirá uma mulher. Simples, não é?

     Helder Guégués, na sua obra Em Português, se faz favor (pág. 219), explica-nos o porquê de ser assim. 'Ouçamos' as suas palavras:

     "Inicialmente, quando era adjetivo verbal, dir-se-ia «fico-lhe muito obrigado / obrigada», como também se dizia «fico-lhe muito agradecido / agradecida». Por economia, ocorreu uma redução, passando a dizer-se simplesmente «obrigado / obrigada», «agradecido / agradecida», «grato / grata»..., mas concorda, em todos os casos, em género e número (mesmo que pouco se use no plural): obrigado, obrigada, obrigados, obrigadas."

Autárquicas 2017: depois do porquinho, o professor Babe...


Regência do verbo "preferir"

     É muito comum ouvir / ler construções como "Prefiro comer em casa do que comer na cantina". Construções erradas, note-se desde já.

     De facto, o verbo preferir rege a preposição a: Prefiro uma vitória do Benfica a uma de Portugal.

     Igualmente errada é a construção preferir antes: Prefiro antes comer em casa do que comer na cantina.

     O verbo preferir pressupõe, então, construções como preferir isto àquilo ou preferir uma coisa a outra.

     Assim, a frase correta seria Prefiro comer em casa a comer na cantina.

     O mesmo sucede também com o adjetivo preferível, que rege igualmente a preposição a: É preferível optar pelo termo português 'clique' a [optar] pelo original inglês 'click'.

     
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...